domingo, 4 de abril de 2021

Lídia

  

LÍDIA

 

Lembro-me de ti , menina

 A serenares o tempo

 Com uma bilha pela mão

E afagares as searas e as papoilas que se curvavam no teu caminho

Quando saias de Oeiras e ias a Paço D’Arcos 

Esperar que a senhora tirasse o leite à vaca 

Que havias de trazer para casa

Sem ninguém adivinhar 

Como os pássaros cantavam e o sol se calava 

À tua passagem em passos breves

 

Lembro.me de ti a serenares o vento nas tempestades

Acalmares as marés  

E sorrires às ervas e flores

Enquanto cantavas ao som das águas a correr

 

Lembro-me de ti 

Nas fotografias que imaginavas

Sempre em busca do significado para que o mundo sorrisse contigo

 

Lembro-me de ti a sorrir 

e a sorrir ficarás connosco

Para que sorrias sempre, amiga

E o sorriso tenha asas leves

Como a mariposa  que de tão breve 

Nos inunda de eternidade e beleza.

 

Manuel Rodas

Sem comentários:

Publicar um comentário

Seja crítico, mas educado e construtivo nos seus comentários, pois poderão não ser publicados. Obrigado.