segunda-feira, 6 de abril de 2020

sábado, 21 de março de 2020

Maratona de poesia, Oeiras 2020

Para celebrar a Primavera e participar na Maratona de Poesia de Oeiras 2020, aqui partilhamos 3 videos, contendo, o primeiro, Maratona de Oeiras, 2020, fotos do Núcleo de Fotografia de Oeiras, com página no Facebook e alguns poemas meus. 
O segundo video, viagem é um poema meu, A viagem.
O terceiro video é uma performance feita com vento e imaginação.

Viva a Primavera! Viva a Poesia, Vivam os amigos!


1. Maratona de Poesia de Oeiras, 2020
https://youtu.be/mGkshS5t4u0

2. Viagem
https://www.youtube.com/watch?v=gdHUJkwG_do

3. Amo-te
https://youtu.be/nkMSSxItTy8

sexta-feira, 20 de março de 2020

Começou a primavera! Viva!

Viva! Viva! Começou a primavera
A mais bela das estações
não a mais quente
nem a mais fria

É aquela que sente
o frio e o calor
que vai nos corações
de noite ou de dia

Depois de ti
não haverá beleza
nem pão nem vinho
para por na mesa

Vens de braço dado
com o medo e a tristeza
andas por todo o lado
com a mesma ligeireza
apontado o dedo a qualquer um
Estás infetado?

MRodas



















sábado, 14 de março de 2020

O homem que queria estar só





Era uma vez um homem que queria estar só

Um dia avisou familiares e amigos
libertou o periquito
disse até logo ao carteiro
acenou com a mão ao padeiro

Mochila às costas pedalou na sua bicicleta cinzenta
e foi para a montanha
que havia dentro de si

Quando lá chegou
achou a gruta mais pequena
que da última vez
e como não havia mais ninguém
sorriu para si

Depois de arrumar
a parte mais desarrumada
surpreendeu-se
porque ainda não estava tudo no lugar

Os dias passaram a arrumar a pequena gruta
e como não havia mais ninguém
sorria para dentro da gruta

Contava histórias a si próprio
e começou a numerá-las
porque se cansava a falar alto

Assim bastava dizer, a número 90
e a história passava toda à sua frente
como no cinema ou na televisão

Começou a reparar que havia histórias
 mais vivazes que outras
mais egoístas
sempre a quererem ser lidas
mesmo atropelando as outras irmãs

Uma dizia assim

SÓ, CAMINHO SÓ

Encontraram-se num caminho
que não se cruzava com outros.
Era um caminho só,
mas servia a ambos
para um destino comum
que logo adivinharam
ao encontrarem-se nos olhos;
as bocas pouco disseram,
as mãos sim:
colaram-se, quase se fundiram
(fc)

Ele gostava desta história e a história gostava dele
ficou a ser a 91

havia outra que também porfiava, a 92

ISTO É VIVER?

Se tenho de viver sem amor
encurtem-me a vida.
Isto não é viver,
mas estar já morto por dentro.
Resta pois o corpo.
Que se vá para onde merece:
faça-se  em pó
e povoe uma montanha
ou dilua-se num mar (fc)


E ainda mais outra história, a 93

CÉU AZUL

Era um céu azul claro e calmo; sem manchas nebulosas, cobrindo um vasto terreno guarnecido de ervas bravias, alinhadas pela Natureza, de um verde quase transparente e polvilhado de pequenas flores brancas e outras amarelas,
também de brilho mate, harmoniosamente agrupadas.
Procurei na realidade algo de semelhante. Encontrei-o:
nos teus olhos um brilhante e suave azul; e, em mim, um verde – esperança de te ver e poder entregar-te um ramo de flores brancas e outras amarelas, amarrado pelas minhas mãos. (fc)
...

Um dia quando voltou do passeio matinal pela floresta
surpreendeu-se
ao ver o saco de pão preso num ramo de árvore
o correio dentro dum saco de compras
um ramo de lindas flores
e o periquito que de tanta alegria
deixou curiosos outros pássaros

Ah! Surpreendeu-se ele.
Tenho de voltar e avisá-los
devem ter ficado muito inquietos com a minha ausência

Quando voltou
era o único que resplandecia
as cores verdes da floresta
os outros estavam contaminados
de ares sérios e preocupados

Foi um a um avisá-los que a cura estava na floresta
e assim salvou os amigos
apenas por querer estar só

Quando tudo terminou
a bicicleta estava azul
e ele foi rápido a inventar uma nova história
a 94...

Era assim, o homem que queria estar só

13 março, sexta feira, MRodas








terça-feira, 10 de março de 2020

Era apenas uma árvore



Era apenas uma árvore
que desde pequenina
se queria dedicar à escultura

Andou na escola
mas não tinha jeito para trabalhos manuais
e em casa nunca gostava de arrumar, limpar, escovar e remexer

Olhava com inveja
os trabalhos dos outros
santos, estátuas, de altar, de confessionário, de montra e de cerimónia ou museu

Simpatizava com o artesão das cadeiras
e dos bancos de madeira
olhava com tristeza os camiões carregados de troncos

Um dia
resolveu que iria fazer a mais bela estátua
começou lentamente sem dizer nada a ninguém
e todos os dias acrescentava
ou desbastava
mudava  e refazia

Sempre distraída
diziam os pais e amigos
na lua, sorriam os professores
ainda estás aí, perguntava o melhor amigo

Ninguém sabia que ela estava entretida a acrescentar umas farpas 
aqui, outras ao lado, cores mais em cima
experimentava novas formas e sorria
queria subir ao céu
onde achava ser o seu mundo

Reparou que uns velhotes começaram a sentar-se à sua sombra
e as crianças procuravam o seu abrigo para as brincadeiras de esconde esconde
então
foi nessa tarde luminosa
que decidiu que seria um altar
onde podia rezar
 mesmo no lugar onde os homens têm o coração
e só uma menina reparou:
Pai está ali um santo!

MRodas, 10-3-2020

https://youtu.be/mGkshS5t4u0


quinta-feira, 5 de março de 2020

Os leitores desta semana

Obrigado, amigos.
Onde quer que esteja, sejam felizes!

Visualizações de páginas por país 

337
EntradaVisualizações de páginas
Portugal
37
França
34
Ucrânia
25
Estados Unidos
25
Vietnã
4
Região desconhecida
3
Emirados Árabes Unidos
3
Reino Unido
3
Irlanda
3
Rússia
3